O presidente da Igreja Evangélica Luterana do Brasil, pastor Paulo Moisés Nerbas, lamentou, em nota à imprensa, que o nome “luterano” tenha sofrido depreciação perante a opinião pública com a crise instalada na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra).

Nerbas prestou apoio ao novo reitor, professor Marcos Fernando Ziemer, e explicou que a IELB não tem ingerência administrativa na Ulbra, papel que cabe à mantenedora, a Comunidade Evangélica Luterana São Paulo de Canoas (Celsp).

Reafirmou, ao mesmo tempo, convicção na propriedade da Universidade em manter o “luterano” em sua identificação, “visto que há razões doutrinárias, teológicas e éticas profundamente enraizadas na Palavra de Deus, as quais transcendem máculas que foram provocadas nesse nome” com a crise da Ulbra.

A IELB roga pela recuperação da Ulbra e espera continuar se valendo de todas as oportunidades para o anúncio da Palavra de Deus “por meio das portas que a Universidade abriu para isso durante toda a sua história”.

Fonte: ALC