Pelo menos 125 extremistas hindus atacaram no último dia 24 de fevereiro uma das igrejas mais antigas e mais conhecidas do Estado de Madhya Pradesh, a Igreja Masihi Mandir, batendo brutalmente em um dos membros.

A agressão se seguiu a um ataque em Kosmi, no distrito de Balaghat, na sexta-feira (dia 22 de fevereiro) na qual uma multidão de extremistas hindus arrastou quatro pessoas de uma casa onde os cristãos estavam reunidos e bateram neles com varas de bambu e cintos.

Igreja de Madhya Pradesh

Em Indore, uma multidão formada pelos grupos extremistas hindus do Rashtriya Swayamsevak Sangh e Bajrang Dal chegou por volta das 14h30, durante o terceiro dos quatro cultos dominicais da igreja que estava prestes a começar, abrindo espaço entre o povo e gritando violentamente slogans de ódio.

“Eles vieram em jipes”, disse a testemunha James Daniel, que estava no local, enquanto “batiam tambores e gritavam slogans em hindi: ‘Aquele que fala só em favor dos hindus regerá a nação” e, “parem com as conversões.”

Os 15 cristãos da igreja desocuparam imediatamente o local e fecharam o prédio por fora. A multidão quebrou as janelas da igreja, enquanto quebravam todas as vidraças das janelas e destruíram dois lustres caros antes de danificar uma cruz.

Daniel contou ao Compass que os membros da igreja tinham escutado os extremistas dizerem que se eles conseguissem derrubar as portas da igreja, ateariam fogo nela. Ele disse ainda que eles estavam armados com bombas de combustível.

Os extremistas hindus pegaram um estudante universitário cristão e bateram nele severamente. Ele pediu anonimato para evitar mais dificuldades. A polícia chegou ao local, enquanto impedia os 125 homens de danificar ainda mais a propriedade da igreja. Só quatro extremistas foram presos. O restante escapou.

Porém, algum tempo depois de o culto da igreja recomeçar, oito dos homens que estavam entre os mesmos agressores resolveram atacar novamente. A polícia, já presente, prontamente prendeu três deles.

Os cristãos registraram queixas na delegacia contra os sete agressores que foram presos.

Em Indore, na cidade maior de Madhya Pradesh, há tempos que se vêem ataques contra igrejas e cristãos. Em 2000, extremistas hindus fizeram vandalismo em três igrejas como um protesto contra a inauguração de um orfanato mantido por missionários. Indore também testemunhou cinco ataques contra freiras franciscanas em outubro do ano passado.

Ataque em casa

No ataque de sexta-feira em Kosmi, quatro ou cinco extremistas hindus do Bajrang Dal entraram na casa de Najak Ji onde a Igreja Jeevan Jyoti tinha organizado uma reunião para o período que antecede a Páscoa.

Gritando: ‘Parem com as conversões’, os extremistas agarraram o colarinho de Tom George, de Kerala, que estava falando. Sunil Lal, do ministério Jeevan Jyoti e que vive perto de Barweli, tentou proteger George, mas os extremistas também o agarraram. Eles os arrastaram para fora, onde de 15 a 20 pessoas o aguardavam e bateram severamente neles.

Usando bambus, paus, bastões e outras armas, eles bateram em George e Lal. Lal sofreu ferimentos na cabeça, ouvidos, peito, ombros, mãos, estômago, joelhos e na perna esquerda.

Membros do Bajrang levaram Lal e outros para a delegacia de polícia de Navegaon e os acusaram de converter os hindus, como se isso fosse ilegal na Índia, enquanto diziam repetidamente: ‘Vocês não deveriam estar entrando em nossa área.’

A polícia levou os cristãos para o Hospital Público de Budi, onde eles foram tratados e liberados na manhã seguinte.

Fonte: Portas Abertas