A Igreja Metodista da Grã-Bretanha votou sexta-feira pelo boicote a produtos e serviços israelenses oriundos de colônias israelenses em territórios palestinos, e encorajou todos os seguidores na Grã-Bretanha a fazerem o mesmo.

A decisão é uma resposta a um convite de um grupo de cristãos palestinos, a um número crescente de organizações judaicas (ambos dentro de Israel e pelo mundo todo), e ao Conselho Mundial de Igrejas. A maioria dos governos reconhecem a ocupação israelense dos territórios palestinos como ilegítima pelo direito internacional.

Christine Elliott, Secretário de Relações Externas da igreja, disse: “Esta decisão não foi tomada de forma leviana, mas depois de meses de investigação, análise cuidadosa e, finalmente, o debate de hoje na Conferência. O objetivo do boicote é pôr fim às injustiças lá existentes. Ela reflete o desafio que os assentamentos apresentam para uma paz duradoura na região”.

Uma reportagem publicada no jornal The Jewish Chronicle acrescenta: “Os delegados na conferência de Portsmouth aprovaram esmagadoramente todas as recomendações do relatório, que incluia também um questionamento sobre se o sionismo era compatível com as crenças metodistas”.

Fonte: Jornal Agora