A Igreja Católica mexicana pediu na sexta-feira, dia 12, que se respeite o direito dos sacerdotes de participar da política.

Em coletiva de imprensa, o reitor da Basílica de Guadalupe, Pe. Pedro Agustín Rivera, reconheceu que os sacerdotes não pretendem ocupar nenhum cargo público e que pedem somente que sejam respeitados seus direitos humanos, entre eles o de participar da política.

No início deste mês, o presidente de México, Felipe Calderón, recebeu o secretário das Relações com os Estados, da Santa Sé, Dom Dominique Mamberti. Políticos da oposição qualificaram essa visita como uma “ingerência nos assuntos da liberdade religiosa do México”.

“Como país democrático, é importante que se dê esse passo avante” _ afirmou o reitor. Ele fez essa declaração, ao apresentar a campanha “Somando amor”, que busca restaurar o antigo templo da Basílica de Guadalupe.

A campanha para a restauração da basílica pretende angariar 105 milhões de pesos (cerca de 9,3 milhões de dólares). A antiga basílica, que em 2009 completará três séculos, conservou, por 267 anos, a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, venerada pelos mexicanos. Desde 1976, a imagem foi transladada para a nova Basílica de Guadalupe.

Na cerimônia de apresentação da campanha, o cardeal-arcebispo de Cidade do México, Norberto Rivera Carrero, revelou o desejo de Bento XVI, de visitar o México em janeiro de 2009, para o Encontro Mundial das Famílias.

Fonte: Rádio Vaticano