O secretário-geral adjunto da Conferência Episcopal do Equador, Pe. Nicolás Dousdebés, enviou uma carta ao presidente da República, Rafael Correa, na qual pede que sejam respeitadas, mesmo se não compartilhadas, as opiniões dos bispos e dos sacerdotes da Igreja.

Na missiva, o secretário afirma que “os cristãos devem amar a paz, mas sem renunciar à defesa dos valores do Evangelho e aos ensinamentos da Igreja, que representa uma voz que, como qualquer outra numa sociedade democrática, deveria ser respeitada e ouvida”.

Todavia _ afirma o sacerdote _, ultimamente foi ofendida “pelo único ‘delito’ de manifestar seu desacordo em relação a alguns pontos do projeto de uma nova Constituição, projeto no qual foram identificadas ambigüidades que podem ser interpretadas como favoráveis ao aborto; à equiparação das uniões homossexuais com a família; e como contrárias ao apoio à educação particular”.

A Conferência episcopal local organizou uma Campanha de oração pelo Equador, com procissões e missas, programada para todo o mês de setembro. A iniciativa prevê também a oração diária do Terço, o Angelus ao meio-dia e o jejum todas as sextas-feiras deste mês.

O objetivo é responder ao convite dos bispos à reflexão sobre o projeto de uma nova Constituição para o país, que será votado com um referendum no próximo dia 28 do corrente.

Fonte: Rádio Vaticano