“Não é justo que os cristãos tenham milícias próprias”, afirmou o porta-voz da Igreja caldeia do Iraque e Bispo auxiliar de Bagdad, D. Shlemon Warduni.

O prelado criticou a decisão de algumas aldeias cristãs, no norte do Iraque, de criarem uma milícia para se defenderem dos ataques de grupos integralistas filiados a Al- Qaeda.

“Este não é o caminho justo; as milícias são para a guerra. Nós somos contrários ao uso de armas, a única resposta à violência é o diálogo e a paz. O Iraque tem necessidade de paz e não de outras armas”, disse D. Warduni à agência SIR.

Para este Bispo, é o Governo do Iraque quem deve proteger os cristãos que “continuam a sofrer violência e abusos apesar da situação ter registrado uma pequena melhoria”. “A estabilidade e a segurança – conclui – continuam a ser as prioridades deste país”.

Fonte: Agencia Ecclesia