A Igreja Ortodoxa Russa acolheu uma sugestão e um projeto de lei de deputados da região de Samara, cidade às margens do Rio Volga, recomendando a proibição de o orçamento federal custear abortos.

Segundo o diretor de comunicação da instituição religiosa, sacerdote Vladimir Legoida, a proibição não se aplica quando se trata de salvar a vida da gestante, mas somente nos casos em que, voluntariamente, as mulheres decidam interromper a gravidez.

Para o sacerdote, o dinheiro gasto pelo Estado russo com este subsídio seria melhor aplicado no tratamento das mulheres que apresentam sequelas após serem submetidas a abortos.

[b]Fonte: Diário da Rússia[/b]