A Igreja Católica de Chicago pagou US$ 6,65 milhões em acordos extrajudiciários a 15 vítimas de abusos sexuais cometidos por 12 sacerdotes entre 1960 e 1990, confirmaram hoje fontes da arquidiocese.

Jeffrey Anderson, advogado de uma das vítimas, afirmou em entrevista coletiva que os acordos foram fechados entre março de 2006 e março deste ano.

Uma porta-voz da arquidiocese explicou que a maioria dos padres que teriam sido os autores desses abusos sexuais morreu ou foi proibida de exercer o sacerdócio. Ele acrescentou que até agora quase US$ 52 milhões foram pagos a 214 pessoas que apresentaram processos judiciais em casos de abusos sexuais.

“A arquidiocese sempre leva qualquer denúncia de má conduta sexual muito a sério, e encoraja qualquer pessoa que tenha sido vítima de abusos de um sacerdote, um diácono ou alguns de seus empregados laicos que se apresente”, afirmou.

Kathy Laarveld, mãe de Keith Laarveld, que acusou o padre Vincent McCaffrey de ter abusado de seu filho durante quatro anos em sua própria casa, lembrou as agressões.

“Aconteceu na minha casa. Eu estava ali. Estou muito orgulhosa de meu filho por ele estar disposto a revelar o que aconteceu para ajudar os outros”, disse.

McCaffrey e outros dois padres cumprem penas de prisão por abusos sexuais. A Igreja Católica dos Estados Unidos tem sido abalada nos últimos 10 anos por uma onda de denúncias de abusos cometidos por seus sacerdotes.

Fonte: EFE