Autoridades da Igreja Católica em Mumbai estão pedindo a prisão de Sanal Edamaruku, presidente da Associação Racionalista da Índia, sob a acusação de ele ter desrespeitado um milagre.

A convite da TV-9, Edamaruku examinou um crucifixo que goteja um líquido pelos pés e disse que se trata de água de um reservatório que vaza de dutos próximos da imagem. Reportagem da emissora mostrou um rastro de umidade na direção do crucifixo.

O local estava atraindo cristãos de toda a Índia em busca de um pouco daquela “água benta”. A notícia do milagre tinha se espalhado rapidamente.

A Igreja não aceitou a explicação de Edamaruku e pediu que ele se retratasse. Diante da recusa, autoridades eclesiais e representantes de entidades católicas abriram na terça-feira (10) um processo contra o cético, acusando-o de blasfêmia, que é um crime previsto no código penal da Índia.

O cético informou já ter recebido intimação da polícia para prestar depoimento. “Posso ser preso a qualquer momento”, disse. Ele contratou um advogado para defendê-lo.

Edamaruku, que se autointitula caçador de gurus, costuma afirmar já ter desmascarado mais de 500 charlatões.

[b]Fonte: Paulopes[/b]