Uma pastora da Igreja Unida do Canadá que se declarou ateia recentemente, permanecerá ordenada, enquanto a denominação continua o com o processo que poderá resultar em sua excomunhão.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/smart/media.guiame.com.br/archives/2016/05/16/195649676-gretta-vosper.jpg[/img]A Rev. Gretta Vosper, uma ministra abertamente ateia é atualmente alvo de uma investigação por parte da Igreja para determinar se ela pode permanecer ordenada como pastora ou se será colocada em disciplina, o que no seu caso implicaria em ser deposta.

De acordo com a recomendação de um comitê da Igreja, uma Conferência do sub-executivo da Igreja Unida do Canadá, em Toronto anunciou na última quinta-feira que o Conselho Geral vai realizar uma audiência formal sobre o caso de Vosper.

“A Sra. Vosper pode permanecer no ministério, na Igreja Unida, em West Hill, Toronto, Presbitério do Sudeste, até que os resultados da audiência formal sejam reconhecidos”, observou o sub-executivo.

“… Até que os resultados da audiência formal sejam rconhecidos, nenhuma chamada, nomeação ou de transferência para a Sra. Vosper será aprovada pela Conferência de Toronto [e] não há mais restrições que sejam colocadas sobre a Sra. Vosper neste momento”.

Em seu comunicado oficial, o sub-Executivo reconheceu que “esta não é a decisão que algumas pessoas queriam assumir”.

“Alguns vão ficar desapontados e zangados que esta ação tenha sido tomada, acreditando que a Igreja Unida pode estar virando as costas a uma história de abertura e inclusividade”, continuou o sub-executivo.

“Outros estão frustrados que as Igrejas permitam que alguém seja um ministro em uma igreja cristã, enquanto nega os principais aspectos da fé cristã”.

[b]Declaração aberta
[/b]
Vosper se assumiu ateia em 2001. Ela mantém uma opinião positiva sobre a Igreja Unida do Canadá e pede à denominação que se mais mais acolhedora ao ateísmo.

No ano passado, uma investigação começou, com o objetivo do ministério se certificar dos pontos de vista espirituais de Vosper. A pastora entrou com recurso em de maio 2015.

Em março deste ano, o Comitê Judicial Executivo da Igreja Unida do Canadá rejeitou o recurso de Vosper, argumentando que não tinha mérito suficiente.

O Rev. David Allen, secretário executivo da Conferência de Toronto, disse ao Christian Post em abril que como o recurso foi negado, o Comitê da Conferência iria conduzir a investigação que conta com uma equipe de cinco pessoas para entrevistar Vosper.

No início deste mês, o Comitê da Conferência de Toronto da Igreja Unida votou em 19 a 4 que “não era mais adequeado” que Vosper continuasse a ser uma ministra da denominação.

“Em nossa opinião, ela não é mais adequada para continuar no ministério ordenado, porque ela não acredita em Deus, Jesus Cristo ou no Espírito Santo”, a maioria da comissão concluiu.

“Embora a Igreja Unida do Canadá seja uma grande tenda, acolhendo a diversidade de crenças teológicas, a Sra. Vosper está longe do centro do que nos mantém juntos como uma Igreja unida e concluímos que ela não é adequada para continuar como uma ministra ordenada em nossa Igreja”, acrescentou.

A comissão recomendou uma audiência formal para determinar se de fato irá afastar a pastora.

[b]Fonte: Guia-me[/b]