A Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos votou para permitir que gays e lésbicas sejam ordenados ministros ou líderes laicos, tornando-se a quarta igreja protestante a fazê-lo.

A decisiva votação de terça-feira pôs fim a um debate de três décadas lançado por um grupo regional em Minnesota (norte), informou o Los Angeles Times.

Com esta decisão, a Igreja Presbiteriana soma-se à Igreja Episcopal e às Igrejas Evangélicas Luteranas, assim como à Igreja Unida de Cristo, que permitem aos homossexuais servir abertamente como ministros e líderes laicos.

A medida, no entanto, deixa que as organizações regionais decidam a questão por si mesmas. “Este é um momento importante na comunhão cristã”, disse Michael Adee, um idoso presbiteriano que dirige uma organização que lutou pela ordenação dos homossexuais, citado pelo jornal Los Angeles Times.

“Alegro-me que os presbiterianos estejam focando no mais importante, fé e caráter, não no estado civil de uma pessoa ou sua orientação sexual”.

A mudança da constituição da Igreja Presbiteriana foi aprovada no último verão (hemisfério norte) pela Assembleia Geral da igreja, seu órgão diretor. Mas segundo as regras da igreja, estas mudanças precisam ser ratificadas por uma maioria de 173 organizações regionais conhecidas como presbitérios.

Na noite de terça-feira, em uma reunião em um subúrbio de Minneápolis, Minnesota, o Presbitério de Twin Cities converteu-se no 87º corpo regional a votar “Sim”, indicou o Los Angeles Times.

A votação reflete a mudança de atitude nos últimos anos, à medida que mais americanos apoiam a integração de homossexuais em instituições que a proibiram por muitos anos, como os militares.

Linda Fleming, uma idosa diácona na Igreja Presbiteriana de Know em Ladera Heights, Califórnia (oeste), disse estar entre os que mudaram de opinião.

“Finalmente decidi aos 63 anos que é inevitável”, afirmou, segundo o Los Angeles Times. “Acredito que é como deixar que as pessoas negras venham às Igrejas de brancos, ou deixar que as mulheres sejam ministros”.

Ainda assim mostra-se surpresa pela votação. “Para a Igreja Presbiteriana, que é uma das principais, uma igreja envelhecida, é algo”.

O Congresso americano aprovou no fim do ano passado que os homossexuais pudessem ingressar abertamente nas Forças Armadas, revertendo o compromisso “Don’t Ask, Don’t Tell” de 1993 que exigia aos soldados gays manter em segredo sua orientação sexual.

[b]Fonte: Terra[/b]