A Igreja Internacional da Graça de Deus, que desabou na tarde de quarta-feira (13), em Pirassununga, e deixou sete pessoas feridas não tinha laudo de vistoria do Corpo de Bombeiros e nem alvará de funcionamento da prefeitura.

O acidente aconteceu por volta das 17h, logo após um culto. Pelo menos dez pessoas ainda estavam no local. Os feridos, com escoriações e fraturas, foram socorridos na Santa Casa, mas estão fora de perigo.

O frentista Adriano da Silva Filho foi um dos primeiros a chegar para socorrer as vítimas e disse que houve muito pânico. “Graças a Deus algumas crianças não chegaram a se machucar bastante, apenas uns arranhões no rosto”. Um hotel vizinho à igreja também foi atingido. Três quartos e vários móveis foram destruídos. Parte do teto da cozinha também desabou.

De acordo com o tenente Hugo Baroni, o templo não possuía a vistoria do Corpo de Bombeiros. O laudo é necessário às edificações comerciais e atesta que o prédio está em condições quanto à saída de emergência e extintores de incêndio.

Na Prefeitura de Pirassununga ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto, mas a assessoria de imprensa informou que a igreja já funcionava há cinco anos, mas sem alvará.

Na manhã desta quinta-feira, os bombeiros fizeram a limpeza da área da igreja que desabou. A preocupação era em reforçar a estrutura da parte administrativa da igreja, que também ficou comprometida.

O laudo técnico que vai apontar as causas do desabamento deve demorar 30 dias. O pastor Leandro Bernardes, de São Paulo, um dos responsáveis pela igreja, informou por telefone que vai aguardar o resultado da perícia para tomar qualquer providência.

Fonte: EPTV.COM