A Arquidiocese de Campinas entra em 2009 com a proposta de melhorar as condições de vida dos moradores de rua. A Igreja pretende construir uma casa de apoio para abrigar e encaminhar para entidades ou mesmo um retorno à família, de homens e mulheres que mendigam pela cidade.

O local e os custos para a construção estão sendo orçados e analisados pela Igreja. O dinheiro a ser utilizado para a obra será fruto das arrecadações feitas em 2008, quando Campinas comemorou o centenário de sua elevação à diocese. A construção dessa casa será um dos marcos da comemoração.

No último levantamento realizado em Campinas pela Secretaria de Assistência Social, cerca de 1,1 mil pessoas viviam nas ruas. A maioria era do sexo masculino e analfabeta. A casa que a arquidiocese vai construir ficará sob a coordenação da Toca de Assis, grupo religioso que já cuida de mendigos.

No Centro

Ontem, as lojas fechadas e a falta de movimento na Rua 13 de Maio, na lateral da Catedral, davam um exemplo da quantidade de moradores de rua que vivem em Campinas. Só na quadra entre a Av. Francisco Glicério e a Rua José Paulino dormiam no chão 10 pessoas.

O número de moradores de rua é difícil de ser contabilizado, em razão da grande variação dessa população, já que é comum haver migração de uma cidade ou de uma região para a outra.

Fonte: Cosmo Online