Com a presença a mais de uma dúzia de organismos e redes que prestam atendimento e buscam prevenções à pandemia do HIV-Aids em El Salvador, realizou-se na quinta-feira, 13, a primeira jornada de coordenação convocada pelo Programa Direito à Saúde e Cura Integral, da Igreja Luterana Salvadorenha.

A coordenadora do programa, pastora Concepción Marina Ángel, disse que é uma necessidade a aproximação dos organismos que trabalham nessa área, com o intuito de acordar agendas, avaliar resultados e propor estratégias, sem cair num estresse institucional pela complexidade do tema.

Na reunião, denominada “Impactos de educação e prevenção para a diminuição da pandemia”, participaram organismos como a Fundação Vamos El Salvador, Fraternidade sem Fronteiras, Associação Cristã de Jovens, Movimento Organizado de Mulheres Trabalhadoras do Sexo “Orquídeas do Mar”, Arquidiocese da Igreja Católica de San Salvador, Quetzalcoatl, Cáritas, Associação Vida Nova, Associação Atlacatl, entre outras. Segundo dados oficiais, em El Salvador seis pessoas se contagiam com o vírus a cada dia, apesar dos esforços empreendidos por ONGs e o Estado.

A resposta da população às medidas de prevenção é muito frágil. Mas a luta continua. Para a quarta-feira, 2 de abril, os organismos voltados ao combate à Aids vão anunciar uma série de atividades, entre elas a realização de um fórum, no dia 8 de abril, com a presença do reverendo Lisandro Orlov, da Argentina, referente da Federação Luterana Mundial para a resposta da pandemia na América Latina.

“Esperamos incidir bem mais na população no tema da prevenção, de modo especial entre a juventude, que é um setor vulnerável, porque não é justo que a gente morra de uma forma tão cruel como o é o HIV-AIDS quando existem possibilidades de prevenção”, disse Angel.

Fonte: ALC