O Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI) promove, de hoje até a sexta-feira, 21, oficina sobre Fé, Dívida Externa e a Nova Configuração Econômica Internacional. A iniciativa é do programa Fé, Economia e Sociedade do CLAI, em parceria com organismos ecumênicos do Equador.

O tema é particularmente importante no Equador, onde o presidente da república, Rafael Correa, acaba de instituir por decreto Comissão de Auditoria da Dívida Pública. O economista Franklin Canelos, que já trabalhou em Genebra na Federação Luterana Mundial, é o vice-presidente da comissão.

Para o secretário-geral do CLAI, reverendo Israel Batista, no passado as igrejas rejeitavam o debate de temas ligados à política e economia. “Hoje devemos entrar nesses temas por meio dos valores de nossa fé. A pergunta de Deus no Gênese: ‘onde está teu irmão e tua irmã?’, nos desafia à questão do cuidado do irmão e da irmã. Esse cuidado pede posicionamentos políticos e econômicos com base nos valores éticos da nossa fé”, enfatizou.

O pastor porto-riquenho da Igreja Discípulos de Cristo e coordenador do programa Fé, Economia e Sociedade, Ángel Luís Rivera, afirmou que nos países da região a influência do Estado na sociedade tem diminuído. “Supõe-se que o Estado tenha um papel central na proteção do ser humano e da natureza. No entanto, a tendência neoliberal que predomina nos países fez com que nossos governos se afastassem da sua responsabilidade ministerial”, anotou.

As igrejas também vêm se perguntando sobre o trabalho com os mais pobres, com a questão do desemprego, com o tema das migrações. “A Bíblia nos faz ver que esses temas estavam presentes na história do povo de Deus. No livro de Êxodo 22, Deuteronômio 24, Levíticos 25, temos várias leis para a proteção das viúvas, dos órfãos e dos estrangeiros. Esses eram os mais pobres daquelas sociedades bíblicas. O ano do jubileu representava uma proteção ao uso da terra e da propriedade aos camponeses pobres”, apontou.

No Novo Testamento, “Jesus fala do perdão das dívidas, e as cartas bíblicas enfatizam a centralidade da graça de Deus. Isto é, que a Bíblia nos orienta em nosso ministério nas questões sócio-econômicas enquanto os desafios estão propostos”, sublinhou o pastor Rivera.

Fonte: ALC