[img align=left width=300]https://ogimg.infoglobo.com.br/in/21403076-b78-56a/FT1086A/420/x67961045_RI-Rio-de-Janeiro-RJ-27-05-2017Manisfestacao-SOS-Baixada-Fluminense-Avenida-Atlantica.-F-1.jpg.pagespeed.ic.qC5AN1NVss.jpg[/img]

Aproximadamente dez igrejas evangélicas de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, uniram centenas de pessoas em um protesto contra a violência da cidade, na manhã de sábado (27), em Copacabana, na Zona Sul do Rio. O grupo chegou a paralisar o trânsito na Avenida Atlântica, nos dois sentidos, na altura do Copacabana Palace.

Os evangélicos pediam paz e exibiam faixas com frases clamando por ajuda, como “Salve-nos! Estamos sofrendo com a violência” e “Não aguentamos mais a violência”.

Pastor Cristiano Pesset, da igreja Batista Referencial de Vida de São João de Meriti, organizou o protesto, que teve como objetivo chamar a atenção da população e do governo do estado para o alto índice de roubo na Baixada e cobrar reforço no policiamento da região. “Na nossa igreja 80% dos membros já foram assaltados por criminosos com arma de fogo”.

Há três meses o carro de Pesset foi roubado em frente à igreja, e há dois meses o carro de sua esposa também foi levado. Ambos foram achados no Morro da Pedreira, na Zona Norte. “O problema da violência é generalizado, mas na Baixada não tem policiamento. Em São João de Meriti somos quase um milhão de moradores para cerca de 250 policiais e três viaturas sucateadas”, alertou o pastor.

A população está desamparada. Anteriormente São João era considerada uma cidade pacata, com pessoas que tinham o hábito de conversar na rua com os vizinhos. “Hoje está todo mundo assustado. Quem pode está sem mudando, porque a situação chegou em um nível insustentável”, reclamou o pastor da Igreja Batista.

Um grupo também participou do ato cobrando ao governo do estado a contratação de 4 mil policiais aprovadas.

[b]Fonte: Gospel Prime com informações do O Globo
[/b]