Líderes e comunidades eclesiais que enfrentam situações de violência em Nova Iorque, Filadélfia, Washington D.C. e Nova Orleans compartilharão suas experiências com uma equipe ecumênica internacional que visitará os Estados Unidos de 15 a 23 de setembro.

Os membros da equipe, procedentes da África do Sul, Líbano, Paquistão e Brasil, expressarão a solidariedade das igrejas de todo mundo com as igrejas estadunidenses e debaterão sobre os esforços de construção da paz em relação à violência urbana, a guerra do Iraque e a construção da paz nas comunidades.

A visita do grupo, que leva o nome de “Cartas Vivas”, integra as atividades previstas para a Década de Superação da Violência (2001-2010), uma iniciativa promovida pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI) com o intuito de promover alternativas pacíficas à violência.

A equipe ecumênica é comanda por um líder eclesial, uma especialista em saúde pública, um teólogo e uma advogada especializada em direitos humanos. Cada um deles contribui com suas experiências pessoais em suas sociedades.

“A finalidade das visitas de Cartas Vivas é criar encontros por meio dos quais as igrejas do mundo se sensibilizem cada vez mais a respeito de suas lutas e esperanças, e que sejam capazes de fortalecer umas às outras”, assinalou a ministra da Igreja Unida de Cristo (EUA) e presidenta do CMI na região norte-americana, pastora Bernice Powell Jackson.

O presidente da Convenção Nacional Batista, William Shaw, dos Estados Unidos, disse que “a construção da paz e a reconciliação incluem a criação de relações mais sólidas dentro e fora das igrejas e dos Estados Unidos, que impliquem assumir a própria responsabilidade ante o entorno dinâmico e mutante do cristianismo e a irrefreável violência de nosso mundo”.

“Ao debater e orar em pequenos grupos, partilhar refeições comunitárias e visitar lares e centros comunitários esperamos que a equipe ecumênica internacional que nos visita seja capaz de escutar os ecos do trabalho de paz das igrejas americanas”, adicionou Powell-Jackson.

Fonte: ALC