O Conselho Ecumênico Cristão da Guatemala (CECG) pediu ao governo que destine mais recursos para o combate do HIV/Aids no país. O orçamento previsto para esse fim cobre apenas 42% das necessidades.

O secretário-geral do CECG, reverendo Vitalino Similox, disse, em coletiva de imprensa, que o HIV/Aids não é apenas uma enfermidade e um fenômeno bio-médico, “mas expressão das precárias condições de saúde, exacerbadas pela pobrez e a injusta distribuição dos recursos econômicos”.

Em 2008, lembrou Similox, o Programa Nacional aprovou apenas 42% do que foi solicitado para fazer frente ao fenômeno do HIV/Aids, equivalente a 4,96 milhões de dólares.

Segundo dados oficiais, no ano passado foram registrados 1.041 novos casos de Aids no país, aumentando para 18.873 pessoas portadoras do vírus. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o HIV/Aids (ONUSida), a Guatemala ocupa o terceiro lugar em notificações de casos na América Central. Mas os números podem ser o triplo, por causa de casos não notificados.

“Não podemos continuar tolerando que enquanto uma magistrada da Corte Suprema de Justiça cobra do Estado quase 10 mil dólares em gastos médicos em um ano, as pessoas que vivem com o HIV não tenham acesso ao medicamento mínimo que precisam para sobreviver”, denunciou o religioso.

Fonte: ALC