Confira abaixo o relatório de incidentes ocorridos na Índia, entre setembro e outubro de 2012, separados por estado e cidade, respectivamente.

Estado: Uttar Pradesh – Cidade: Ambednagar
Em 30 de setembro, a polícia prendeu um pastor e outros 10 cristãos, depois de extremistas hindus interromperem sua reunião de oração, agredi-los e acusá-los de roubo.

O pastor Pannalal, da Igreja Filadélfia em Ambednagar, disse à Portas Abertas que, cerca das 8h da noite, hindus e policiais invadiram o culto de adoração e os obrigou a irem à delegacia de Jalalpur. A multidão acusou o líder cristão e os demais crentes de roubarem artigos de famílias da região. Os cristãos foram presos, e liberados no dia seguinte, sob fiança, após a intervenção de um advogado.

Estado: Orissa – Cidade: Kanthapada
Hindus explodiram uma bomba em um batismo, no distrito de Balasore, em 2 de outubro. Os extremistas agrediram o pastor Jayaram Marandi e os demais cristãos, acusando-os de conversões forçadas. O líder cristão Subhash Chandra Digal disse à Portas Abertas que, antes da invasão à reunião de batismo, a polícia havia registrado uma queixa contra os cristãos. Como a reunião estava começando, os extremistas atacaram, e os levaram para a delegacia.

Os oficiais mantiveram Marandi e outros quatro crentes em custódia, durante a noite, aparentemente para a sua segurança, já que manifestantes furiosos reuniram-se nas proximidades. Na manhã seguinte, a polícia libertou os cristãos sem quaisquer encargos e, logo em seguida, o pastor Marandi realizou o batismo.

Estado: Orissa – Cidade: Bhubaneswar
Em primeiro de outubro, o governo do Estado de Orissa nomeou o ex-juiz da Alta Corte A. S. Naidu para investigar o assassinato de Laxamanananda Saraswati, morto em 2008, líder do Conselho Mundial Hindu, (organização conhecida pela sigla VHP).

Os motins que eclodiram após a morte de Saraswati custaram a vida de centenas de cristãos e resultou em milhares de desabrigados. O ex-diretor da comissão de Justiça, S. C. Mohapatra, morreu em maio. Em 22 de outubro, Naidu enviou intimações para 55 pessoas, incluindo o então arcebispo de Cuttack Raphael Cheenath, e John Dayal, secretário-geral do Conselho Cristão da Índia.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]