A Comissão de Minorias do Estado de Madhya Pradesh, na Índia, alega que os relatos de perseguição aos cristãos por parte de extremistas hindus no Estado são “sem fundamento”, irritando a pequena comunidade cristã.

A alegação da comissão estadual contradiz um relatório da Comissão Nacional para as Minorias (NCM, sigla em inglês) de junho de 2006. A equipe de apuração da NCM descobriu que extremistas hindus invocavam freqüentemente a lei estadual anticonversão como um modo de incitar as multidões contra os cristãos e para fazer com que os cristãos fossem presos sem evidência.

“A vida dos cristãos tem se tornado miserável nas mãos dos extremistas, com a conivência da polícia”, aponta a NCM em seu relatório. “Existem alegações de que quando atrocidades eram cometidas contra cristãos, os policiais permaneciam como meros expectadores, e, em certos casos, nem sequer registravam queixas.”

Em contrapartida, Anwar Mohammed Khan, presidente da comissão estadual de minorias, disse ao Compass que tem havido reclamações sobre ataques contra membros da comunidade cristã, mas que os extremistas não têm visado os cristãos.

“Sob a seção 9(2) do Ato da Comissão Nacional para Minorias, temos o poder de investigar qualquer reclamação que diga respeito às minorias e temos feito isso”, disse Anwar Khan. “Mas não achamos que qualquer menção especial deva ser feita sobre ataques contra cristãos.”

Anwar Khan declarou também à agência de notícias Indo-Asian, em 31 de janeiro, que depois de visitar os locais onde houve relatos de incidentes e conversar com testemunhas, “descobrimos que as alegações feitas pelos cristãos não tinham fundamento”.

Indagado se o BJP, partido que governa o Estado, era responsável por qualquer escalada de ataques anticristãos no Estado, Anwar Khan disse ao Compass: “Nenhum incidente ocorreu recentemente. Se você sabe de algum incidente no qual o governo tenha deixado de cumprir com seu papel, traga ao meu conhecimento”.

Alto índice de ataques

Indira Iyengar, presidente da Associação Cristã de Madhya Pradesh e até recentemente membro da Comissão de Minorias do Estado, disse que o governo nacionalista hindu do BJP queria dar a impressão de que tudo estava “calmo e tranqüilo” no Estado.

“Há duas semanas, Maya Singh, parlamentar do BJP, disse a um jornal local que eu estava mentindo quando escrevi à comissão e ao governo federal sobre a vitimização dos cristãos no Estado”, disse Indira.

Durante o período de três anos, Indira escreveu à NCM e a várias outras autoridades sobre o alto índice de ataques aos cristãos em Madhya Pradesh, mas não obteve qualquer resposta.

Desde então, Indira pede que a comissão estadual divulgue seu relatório – se é que ele existe – para exame público.

Alegações negadas

Em junho de 2006, um artigo no jornal de circulação nacional “Frontline” criticava a comissão de minorias estadual por falar “a mesma língua que o Bajrang Dal [braço extremista jovem do Conselho Mundial Hindu] e do ministro chefe do Estado”, e com isso deixando de lado seu mandato em defesa das minorias.

Anwar Khan negou as alegações da NCM de que a comunidade cristã esteja sob “ataque calamitoso” no Estado, acrescentou o “Frontline”.

O jornal também citou o ministro chefe de Madhya Pradesh, Shivraj Singh Chouhan, que disse que o governo do BJP está bastante preocupado com conversões não éticas – presumivelmente de hindus para o cristianismo.

Os ataques contra os cristãos no Estado aumentaram dramaticamente desde que o BJP foi eleito para o governo em dezembro de 2003, de acordo com fontes locais e nacionais.

Recentemente, extremistas hindus saquearam a loja de um cristão convertido, Mukesh Badehi, no dia 5 de fevereiro, no distrito de Ujjain.

No dia 2 de janeiro, extremistas do Dharma Sena agrediram dois cristãos, Shyam Sunder e Ram Deen, no distrito de Sidhi. O ataque aconteceu quando nove cristãos visitivam Tez Bali, um cristão da aldeia Devera. Os extremistas danificaram o muro e invadiram a casa de Tez antes de agredirem Shyam e Ram.

Também em janeiro, o grupo extremista hindu Dharma Sena se opôs ao casamento de Peter Abraham, um cristão, com Meera Gond, uma indiana tribal, alegando que Peter tinha oferecido dinheiro a ela para que se convertesse ao cristianismo. O casal conseguiu finalmente se casar no dia 11 de janeiro, depois que os protestos adiaram a cerimônia três vezes.

Os cristãos somam apenas 0,3 por cento do total da população de Madhya Pradesh.

Fonte: Portas Abertas