Os muçulmanos foram considerados culpados pelo incêndio de um trem em 2002.

Onze muçulmanos foram condenados nesta terça-feira à pena de morte, uma semana após terem sido considerados culpados pelo incêndio de um trem em 2002, que provocou confrontos religiosos violentos que mataram 2.000 pessoas.

Outras 20 pessoas foram condenadas à prisão perpétua.

A onda de violência no oeste do país, uma das mais sangrentas desde a independência da Índia, teve início depois da morte de 59 hindus no incêndio do trem no qual retornavam de uma peregrinação.

O trem foi atacado na estação de Godhra, no estado de Gujarat (oeste).

Os hindus do estado acusaram os muçulmanos e protestaram durante três dias nos bairros islâmicos de várias cidades, situação que terminou em um banho de sangue.

A origem do incêndio do trem nunca foi realmente esclarecida e o incidente abalou as relações entre as duas comunidades.

Em 2005, uma investigação concluiu que o incêndio começou com um acidente, mas outras investigações oficiais não concordaram com esta tese.

[b]Fonte: Folha Online[/b]