O Governo da Indonésia, o país muçulmano mais povoado do mundo, pediu hoje ao deputado holandês Geert Wilders que desista de exibir seu filme com críticas ao Islã, para não provocar um conflito com os muçulmanos.

“O filme será um novo obstáculo para a harmonia e o diálogo entre as comunidades de diferentes religiões”, disse o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores indonésio, Kristiarto Legowo.

“É totalmente impróprio que o senhor siga com seu plano de exibir o filme sabendo que ele vai ferir as comunidades muçulmanas”, assinalou o porta-voz.

A maior parte dos quase 220 milhões de moradores da Indonésia pertence à versão moderada do Islã.

O deputado planeja exibir seu curta-metragem, de 15 minutos, na internet, provavelmente no final deste mês, através do endereço www.fitnathemovie.com.

As emissoras de TV holandesas não aceitaram exibir o filme de Wilders, porque ele exigia como condição indispensável que a transmissão fosse feita integralmente e sem cortes.

O anúncio de Wilders de que exibirá o filme gerou contratempos ao Governo holandês, que intensificou os contatos internacionais no mundo muçulmano para evitar reações negativas como as que ocorreram após a publicação de charges de Maomé em um jornal dinamarquês.

Fonte: EFE