O Instituto Bíblico de Lima, em Peru, (IBL) apontou, no Dia Internacional da Paz, o escasso compromisso dos evangélicos em mobilizações em torno da paz, dos direitos humanos e na luta contra a corrupção.

O seminário teológico da Igreja Evangélica Peruana foi uma das instituições que uniu-se, na quinta-feira, 21, ao Dia Internacional da Paz, convocado pela Organização das Nações Unidas e organismos evangélicos e ecumênicos.

Somando-se às atividades voltadas à promoção dos ideais da paz e da não-violência, o IBL organizou, pelo segundo ano consecutivo, o programa Oração pela Paz, com o propósito especial de interceder pelos acontecimentos recentes no Líbano.

No programa do IBL, que contou com a participação de estudantes, foram lembrados os esforços e espaços afins que ocorreram no Peru, quando se apontou a fraca e minoritária presença dos evangélicos em manifestações em favor da paz, dos direitos humanos e contra a corrupção.

O diretor do IBL, pastor Eliseo Vílche-Blancas, apresentou reflexão bíblica na qual destacou o sentido e o chamado do conceito “semear” e “trabalhar a paz”. Ele disse que a exigência bíblica não chama à passividade dos cristãos diante de tensões na sociedade e entre nações, mas demanda esforços e compromissos, projetos e processos a favor da paz.

No programa do Oração pela Paz os participantes intercederam pelos desenraizados por causa dos bombardeios no Líbano, e pelo fim do conflito palestino-israelense.

Fonte: ALC