Casal dormindo
Casal dormindo

Um novo estudo da Universidade do Texas em San Antonio (UTSA) descobriu que pessoas que vão à igreja e oram com frequência tendem a dormir melhor do que as pessoas que não são religiosas.

Dados de uma grande pesquisa recente mostram que a frequência religiosa e a frequência da oração estão positivamente associadas à qualidade geral do sono, de acordo com o estudo publicado  na revista Sleep Health: Journal of the National Sleep Foundation.

O estudo reconhece  que a religião poderia “diminuir o sofrimento psicológico, o abuso de substâncias e a exposição ao estresse, que estão todos associados aos desfechos do sono”.

“Esta pesquisa nos permite compreender melhor a maneira pela qual religião e espiritualidade afetam a saúde de uma pessoa e qualidade de vida global”, diz Christopher Ellison do Departamento de Sociologia da UTSA.

Segundo a UTSA, “Ellison acredita que os dados sugerem que o envolvimento religioso de uma pessoa beneficia sua saúde mental reduzindo o estresse, promovendo engajamento social e apoio de outros membros da igreja, fornecendo recursos psicológicos (esperança, otimismo, senso de significado) e promovendo estilos de vida mais saudáveis.”

Há muitos outros benefícios em frequentar a igreja, como estudos anteriores mostraram.

Por exemplo, os casais que frequentam os cultos juntos têm maior probabilidade de viver mais, têm menor probabilidade de depressão e menor probabilidade de se divorciarem, segundo um estudo intitulado “Religião e Saúde: Uma Síntese”, conduzido por Tyler J. VanderWeele, professor de epidemiologia na Harvard School of Public Health, em 2016.

Casais que frequentam a igreja têm 30% a 50% menos probabilidade de se divorciar do que aqueles que não o fazem, afirmou o estudo, acrescentando que esses casais também têm 30% menos chances de depressão e, após 16 anos de acompanhamento. demonstraram ter um risco significativamente menor de morrer.

Outro estudo, publicado no JAMA Psychiatry no mesmo ano, descobriu que as mulheres americanas que frequentam um culto na igreja uma vez por semana ou mais, têm cinco vezes menos probabilidade de cometer suicídio do que aquelas que nunca vão a um encontro religioso.

Também em 2016, as estatísticas do índice de felicidade nacional da Grã-Bretanha sugeriram  que os cristãos estavam entre as pessoas mais felizes do país, enquanto aqueles que não se identificam com alguma religião em particular, geralmente obtêm os menores índices de satisfação com a vida.

Fonte: The Christian Post