Para ser considerada beata, pela Igreja Católica, foi necessária a comprovação da existência de um milagre atribuído à religiosa.

Por meio de uma nota oficial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o cardeal arcebispo de Salvador, dom Geraldo Majella Agnelo, anunciou nesta quarta-feira a beatificação de irmã Dulce. O pronunciamento foi feito na sede das Obras Sociais Irmã Dulce, na capital baiana, e o cardeal informou que até o fim do ano será conhecida a data da cerimônia de beatificação.

Para ser considerada beata, foi necessária a comprovação da existência de um milagre atribuído à religiosa – fato que aconteceu esta semana em Roma. O processo ainda precisa ser assinado pelo papa Bento XVI para ser concluído.

De acordo com d. Geraldo, irmã Dulce é exemplo para os cristãos e a sua história de vida é o que justifica a beatificação e o processo de canonização. “Todo santo é um exemplo de Cristo, como foi o caso dela (Irmã Dulce), aquela dedicação diuturna durante toda a vida aos pobres e sofredores”, disse.

Irmã Dulce é a primeira baiana a tornar-se beata e agora está a um passo da canonização. O título de santa só poderá ser conferido após a comprovação de mais um milagre intercedido pela religiosa e reconhecido pelo Vaticano.

A causa da beatificação de Irmã Dulce foi iniciada em janeiro de 2000 pelo próprio d. Geraldo Majella. Desde junho de 2001, o processo tramita na Congregação para a Causa dos Santos no Vaticano.

[b]Fonte: iG
[/b]