A organização egípcia Irmandade Muçulmana afirmou neste domingo que o discurso do Papa Bento XVI, no qual o pontífice disse estar “profundamente sentido” com as reações islâmicas a uma fala considerada ofensiva à religião, representa um passo positivo.

“Nós consideramos o discurso de hoje do Papa uma retratação do que ele disse na semana passada”, afirmou Mohammed Habib, membro veterano da organização.

“Representa um passo positivo em direção a uma desculpa”, acrescentou.

“Nós gostaríamos que o Papa explicasse sua opinião pessoal sobre o Islã no futuro”, disse Habib. Segundo ele, o grupo ficaria satisfeito com qualquer esclarecimento do pontífice sobre o discurso.

Na terça-feira, Bento XVI citou um imperador bizantino do século XIV que afirmou que as inovações introduzidas pelo profeta Maomé eram “más e desumanas”, o que provocou revolta no mundo muçulmano.

No sábado, o Vaticano divulgou um comunicado no qual afirmava que o Papa lamentava ter soado ofensivo aos muçulmanos durante o discurso na Alemanha, mas a Irmandade Muçulmana considerou que o texto não constituía uma desculpa.

Fonte: AFP