O hindu Mangar Singh acreditava que a fé cristã do irmão fosse responsável pela morte da filha adolescente dele, algo comparável a um trabalho de magia negra. Por isso ele matou no dia 3 de abril seu próprio irmão, Thakur Sing Bhil, ao disparar uma seta no tórax dele, no distrito de Dhar, em Madhya Pradesh, segundo o relato de parentes.

Thakur Bhil era um líder cristão da aldeia de Gatiya Dev, que enfrentava a oposição dos parentes depois de ter se convertido ao cristianismo. Estima-se que ele tivesse uns 55 anos.

Na hora do assassinato estava em casa a esposa de Thakur Bhil, Inda Pasaha Bhil e o filho, Pangu Singh Bhil. Eles disseram que o irmão dele, Mangar Singh, de 45 anos, entrou na casa deles ao meio-dia, “bêbado” de raiva, e atirou uma seta no tórax de Bhil, a uma distância próxima.

“O irmão de Bhil estava absolutamente fora de si. Como ele tinha consumido muito álcool, estava furioso”, contou o filho da vítima, Pangu Singh Bhil, ao Compass. Ele disse ainda que o pai dele tentou se defender, mas que a seta ao perfurar o tórax imediatamente o matou.

Arco e flecha

O uso de arco e flecha é comum entre os tribais para caçar e também para cometer atos de vingança, apesar das tentativas do governo da Índia de banir esta prática violenta.

“O irmão mais novo do meu marido, Mangar Singh, tinha uma filha de 17 anos que morreu por motivos de doença há aproximadamente três meses e ele nos culpou porque pensou que a conversão de meu marido e o orar dele eram os responsáveis pela morte dela”, disse Inda Pasaha Bhil ao Compass.

“Ele entendeu mal nossa convicção religiosa e nossas orações interpretando como se fosse magia negra e sempre foi oposto à nossa conversão”, explicou a viúva.

A conversão

O pastor Kemta Chauhan, que vive na área de Bagh, perto do local do incidente, disse que Thakur Sing Bhil era um fazendeiro simples que tinha vindo a acreditar em Cristo depois que ele compartilhou o evangelho com ele há mais de dois anos.

“Ele orava regularmente e enfrentava oposição constante da família dele, que não entendia a fé dele e o detestava por isso”, disse o pastor Chauhan.

Depois da morte de Bhil, disseram os parentes, o irmão fugiu. A esposa de Singh deixou a casa dela apressadamente e foi para a casa do pai, levando a outra filha.

Parentes disseram à polícia que Singh havia sido detido e mandado para a prisão de Barwani, mas devido à dificuldade de comunicação o Compass não conseguiu obter a confirmação da polícia.

Ore pelo sustento da família

Thakur Sing Bhil deixa a esposa, um filho e uma nora, Sonu. O filho dele, Pangu, só tem uma perna, por isso os parentes temem que a morte de Bhil resulte em problemas financeiros para a família. Pangu Singh é casado há três anos e não tem filhos.

A família abriu uma ocorrência na delegacia de polícia de Bagh, no dia 3 de abril, mas disse que a polícia não emitiu uma cópia assinada do relatório.

Pela prática comum, se a polícia não emitir uma cópia assinada é como se o registro não tivesse sido feito. Os parentes temem que Mangar Singh possa subornar a polícia para se livrar das acusações.

Fonte: Portas Abertas