Após o site Notícias da TV informar que os funcionários da TV Universal estavam trabalhando mais que o dobro e sem água, a Igreja Universal do Reino de Deus divulgou uma nota desmentindo a matéria.

Segundo o “Notícias da TV”, desde a última quinta-feira (7), os funcionários da IURD TV, produtora de TV da Igreja Universal do Reino de Deus, estão trabalhando mais do que o dobro de suas cargas horárias para implantar a programação religiosa na Rede 21, do Grupo Bandeirantes.

O site também informou que os funcionários estavam trabalhando cerca de 15 horas por dia tendo que levar água de casa, pois a TV Universal não estava mais comprando galões de água por contenção de despesas. “Por contenção de despesas, teria parado de comprar galões de água para os funcionários beberem. Quem tiver sede, precisa levar a própria água”.

A IURD disse, através de nota, que “cumpre rigorosamente a legislação trabalhista” e que segue as normas estabelecidas para as diferentes atividades profissionais por eles contratadas. Quanto à ‘denúncia’ de ‘falta d’água para beber na produtora, chega a ser risível.

Leia o comunicado na íntegra:

“Com referência à notícia “Funcionários da Igreja Universal trabalham dobrado e sem água”, publicada pelo site Notícias da TV, esclarecemos que:

A Universal cumpre rigorosamente a legislação trabalhista e as normas coletivas aplicáveis a seus funcionários, das mais diversas categorias profissionais, submetendo-se à fiscalização das autoridades competentes;

O fluxo de trabalho da TV Universal pode variar, como de qualquer produtora de televisão, mas segue uma programação preestabelecida e obedece parâmetros absolutamente compatíveis com a equipe contratada e com os equipamentos disponíveis;

Quanto à ‘denúncia’ de ‘falta d’água para beber na produtora, chega a ser risível. Basta uma visita às instalações para se verificar que há bebedouros instalados em número suficiente para atender, com conforto, o público que trabalha e frequenta o local.

O site poderia simplesmente ter procurado a Universal para verificar a veracidade das informações. Evitaria o constrangimento de ser pública e factualmente desmentido.

Em tempo, mais uma correção: em 2013, a IURD TV passou a se chamar TV Universal.”

[b]Fonte: Momento Verdadeiro[/b]