[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/02/28/3068986571-billy-graham.jpg[/img]

Nesta semana, muitos cristãos irão celebrar a Sexta-Feira Santa, que relembra a crucificação de Jesus Cristo e sua morte no Calvário. Em um artigo publicado nesta quarta-feira (12) no jornal Daily News, o evangelista Billy Graham explica a importância da morte e ressurreição de Jesus para aqueles que têm fé.

“Para os cristãos, a morte de Jesus é um dos eventos mais importantes da história. Em Gálatas 6:14, Paulo declarou: ‘Quanto a mim, que eu jamais me glorie, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio da qual o mundo foi crucificado para mim, e eu para o mundo”, disse Graham.

O que torna a morte de Jesus um acontecimento tão especial? Graham esclarece que, antes de mais nada, ela é importante por causa de sua natureza – Jesus era Deus na forma de homem.

“Ao longo da história, muitos tiranos e megalomaníacos afirmaram sua divindade, mas somente Jesus Cristo era realmente Deus, que veio do céu e retornou ao céu”, explica o evangelista. “Ele provou não só por suas ações milagrosas, mas por sua ressurreição dentre os mortos. Jesus declarou com exatidão: ‘Eu e o Pai somos um’ (João 10:30)”.

A morte de Jesus também foi única por causa dos efeitos que ela teve, esclarece Graham. “Sua morte não foi de um mártir, sua morte foi de um salvador! Ele veio ao mundo por uma razão: se tornar o sacrifício final e completo pelo pecado. Estamos separados de Deus e merecemos seu julgamento mas, na cruz, Cristo tomou sobre si os nossos pecados e o nosso julgamento”, ele afirma.

Em um artigo anterior, Graham explica por que o dia da morte de Jesus é chamado de “Sexta-feira Santa”.

“É porque a morte de Jesus não foi um erro trágico ou um acidente inesperado, era parte do plano eterno de Deus para o nosso bem. O Filho de Deus era perfeito e sem pecado, mas na cruz, todos os nossos pecados foram transferidos para Ele. Ele se tornou o sacrifício final pelos nossos pecados”, explica o evangelista.

“Se Jesus nunca tivesse ido à cruz, você e eu não teríamos perdão e nenhuma esperança de viver eternamente na presença de Deus. Por ele ter morrido por nós, temos esperança para hoje e para a eternidade”, ele acrescentou.

[b]Fonte: Guia-me[/b]