A volta do volante Roberto Brum do Santos, contra o Guarani, no último domingo, contrariou a previsão dos médicos. O jogador havia sofrido uma contratura muscular na coxa durante confronto contra o Palmeiras, no dia 8 de fevereiro.

Ele voltaria em 15 dias, mas diminuiu em uma semana a estimativa dos médicos. Evangélico, o jogador garante que foi curado por intervenção divina.

O jogador conta que, na véspera do jogo, acordou desanimado, pensando que teria mais uma chata sessão de fisioterapia pela frente, enquanto seus companheiros se preparavam para a partida contra o Bugre. Então, Brum diz que resolveu fazer um teste. Ele mora a cerca de dois quilômetros do CT Rei Pelé e resolveu ir a pé até saber se estava curado da lesão. Diz que confiava que Deus não iria lhe conceder a graça de não sentir mais a lesão.

– Deixei a chave do carro de lado, coloquei uma bermuda e comecei a caminhar. Fui me sentindo bem e resolvi dar um trote. Quando cheguei em frente à Santa Casa (já na rua do CT), pensei: vou dar um pique. Cheguei bem na porta do hotel do Santos e freei com força. Não senti nada e já agradeci: ‘obrigado, meu Senhor, estou curado’ – contou, arrancando gargalhadas dos repórteres.

Brum diz foi procurar diretamente o fisioterapeuta do Peixe, Nilton Petrone, o Filé, avisando que iria jogar.

– Eu entrei no CT e falei que queria falar com o Filé. Parecia até o Marcelo Teixeira (presidente do clube). Ele disse que eu era louco, que nunca tinha visto um caso como o meu ser curado tão rápido. Mas eu provei que estava bem, que iria jogar e joguei – comenta.

Fonte: Globo Esporte