Nurta Mohamed Farah, de 17 anos, foi brutalmente agredida por seus pais, após descobrirem que ela havia se convertido ao cristianismo. Eles a levaram a um médico, que alegou que ela sofria de um distúrbio mental e lhe receitou uma forte medicação.

A jovem foi acorrentada a uma árvore durante o dia. À noite, era trancada em um pequeno quarto escuro. Ela se negou a abandonar sua fé, e sua família a despreza, alegando que só a deixará ter uma vida normal de novo quando for curada, ou seja, quando abandonar o cristianismo e voltar ao islã.

[img align=left width=300]https://www.portasabertas.org.br/images/1120054/3120274[/img]Desde a mais tenra idade, as crianças da Somália têm de decorar a genealogia do clã ao qual pertencem, muitas vezes recuando mais de 800 anos na história. Quando dois somalis se encontram, passam a descrever um ao outro os nomes de seus antepassados; se descobrirem que têm um ancestral em comum, mesmo que distante, eles se sentem ligados por laços sanguíneos e passam a se ajudar mutuamente.

Nesse contexto, a religião está intrinsecamente ligada ao núcleo familiar, que é fundamental para esse tipo de sociedade. Quando um indivíduo deixa o islã para seguir a Cristo, ele quebra um vínculo não só com a religião, mas também com as tradições familiares, por isso, passa a ser perseguido, rejeitado e pode até ser morto.

[b]Pedidos de oração
[/b]
Ore pela vida de Nurta, para que ela seja protegida, fortalecida e encorajada pelo Senhor.
Interceda pelos cristãos somalis que são novos convertidos e têm sofrido a oposição e rejeição da própria família por causa de sua fé em Jesus.
Agradeça a Deus pela vida de cristãos como Nurta, que mantêm a fé mesmo em meio a um ambiente tão hostil.

[b]Fonte: Portas Abertas Brasil[/b]