O jovem pastor protestante Neil Samson foi morto no Sri Lanka, país onde há guerra civil e são praticados todos os tipos de violência sem que haja respeito aos direitos humanos. Ele morreu no domingo, em Ampara, depois de ter sido baleado por dois homens que estavam em uma motocicleta.

A esposa dele estava presente e ficou ferida. O filho deles, que também presenciou a situação, entrou em estado de choque.

O bispo anglicano de Colombo, Duleep de Chickera, em uma declaração à imprensa, condenou o assassinato e chamou a polícia para fazer uma “investigação imparcial” no caso.

Para o prelado anglicano, é provável que a morte esteja relacionada com as tensões sectárias que aumentaram nas últimas semanas em Ampara.

A mídia local informou acerca da detenção de alguns clérigos cristãos que supostamente levavam bombas em suas jaquetas. Isso criou uma suspeita e um forte ressentimento contra a comunidade cristã.

Punição aos eventuais culpados

“Se os suspeitos são culpados, eles deveriam ter sido punidos de acordo com a lei”, disse o bispo de Chickera. “Por outro lado, se estes pastores são inocentes, eles devem ser libertados e a Igreja deles deve ser publicamente exonerada”, disse ele.

O bispo de Colombo lamentou a mote de Neil Samson por ter sido vítima de uma cultura de guerra que está se espalhando pelo país. Na visão dele “os dois partidos em conflito” são responsáveis pela situação. Governo e rebeldes de tamis têm lutado por mais de 20 anos.

“A ausência de um órgão neutro para monitorar a situação no Sri Lanka encoraja a impunidade e facilita o descuido das normas éticas e humanitárias, o que abre espaço para a ocupação e destruição de lugares de adoração”, disse ele.

Fonte: Portas Abertas