O judeu hassídico Abe Karpen, que interpretava o marido da atriz Natalie Portman em um dos curtas que formam o filme “New York, I Love You”, foi obrigado a deixar o filme por pressões dessa comunidade ultra-ortodoxa, informou a imprensa local.

Karpen, de 25 anos, causou irritação em sua comunidade quando recentemente foram publicadas na imprensa americana fotos do set, nas quais aparecia junto a Natalie Portman caminhando sob a ponte de Brooklyn, que liga Manhattan a este bairro.

Os rabinos hassídicos (corrente mística judia) ordenaram que Karpen abandonasse imediatamente a filmagem da produção e ameaçaram expulsar seus filhos da escola religiosa na qual estão matriculados se não cumprisse a ordem.

“Realmente (Karpen) não compreendeu que se tratava de um filme e que Natalie Portman era uma estrela. Pensou que era algo mais comercial, uma coisa pequena”, disse à imprensa Isaac Abraham, líder da comunidade hassídica.

Segundo ele, o jovem foi “ingênuo” ao aceitar o papel, pois “não compreendeu a magnitude do que estava fazendo”.

“Nós não vemos televisão, nem usamos internet ou vemos filmes.

Vai contra nossa religião e nossas tradições. Temos diretrizes claras do que se pode e não se pode fazer”, acrescentou Abraham.

Portman e Karpen interpretavam um jovem casal hassídico a ponto de se casar em um dos doze curtas que formam o filme “New York, I Love You”, que conta histórias de amor em diferentes bairros da cidade pelas mãos de vários diretores, entre eles Scarlett Johansson, que estréia atrás das câmeras.

Fonte: EFE