O Estado de Israel promete liberdade religiosa. Porém, em algumas cidades israelitas, judeus que acreditam que o Jesus é o Messias (messiânicos) enfrentam perseguição. Veja o que ocorre em uma cidade chamada Arad.

Chris Mitchell, que trabalha para rede de notícias de CBN News no escritório de Jerusalém, destaca no início de seu mais recente relato:

“Arad fica no meio do deserto de Negev, a cerca de uma hora ao sul de Jerusalém. Para a maioria dos quase 25 mil residentes, é um local quieto. Mas para outros, têm sido palco de protestos ruidosos, molestamento e perseguição quase que diárias. ”

“Uma seita extremista-ortodoxa chamada “gur” molesta muitos dos judeus messiânicos na cidade”, afirma Chris.

Chris Mitchell citou Yakim Figueros, um pastor messiânico em Arad, dizendo: “Nós nos encontramos em um edifício da congregação. Há um modo estreito para entrar. Em qualquer lateral do portão, há duas pessoas deles (perseguidores) de pé lendo maldições contra todos os cristãos que entram ali”.

Eles dizem coisas como: “Suas crianças vão ficar órfãs. As esposas de vocês ficarão viúvas…”

“Você sabe que não é agradável para as pessoas simples entrarem e passarem por isto”, disse Chris.

“O centro da cidade é outro lugar onde muitos imigrantes judeus aposentados se reúnem e são molestados. A maioria dos homens aqui é de cidadãos sêniors aposentados da ex-União Soviética.

Alguns são sobreviventes de holocausto. Eles vêm aqui para jogar o jogo favorito deles neste clube de xadrez chamado “Os Homens do Rei”.

Ponto de encontro cristão

Os donos do clube, Eddie e Laura Beckford, estabeleceram o clube de xadrez como um modo para servir a estes homens.

“Nós temos livros e Bíblias em todos os idiomas”, disse Eddie. “Sempre mantemos Bíblias russas guardadas. Eles têm uma fome de conhecimento, leitura de material… eu acho que é por causa dos anos atrás da Cortina de Ferro”.

Laura disse ainda: “E nós tentamos também satisfazer as necessidades físicas deles. Como um homem daqui que precisava de tratamento auditivo. Nós estamos tentando adquirir fundos para ajudá-lo em tudo o que for necessário”.

Mas o clube de xadrez foi alvo de vandalismo e bombas. Suspeita-se de membros da seita extremista-ortodoxa. Muitos dos judeus messiânicos também tiveram os nomes deles publicados junto de fotos distribuídas em folhetos por Arad.

No alvo

Rebecca Fry, que está em um desses nos folhetos, disse que ironicamente, cresceu em uma casa de extremistas-ortodoxos gur. Agora ela acredita em Jesus.

“Eu sei exatamente de onde eles estão vindo porque quando eu era uma criança, recebi o mesmo ensinamento sobre os cristãos”, disse ela.

Ela contou que aprendera na infância que os cristãos “são pessoas loucas, ruins, que seqüestram as crianças, as batizam e as levam a monastérios ou conventos e os trancam lá”.

“Eles na verdade nos ensinam todo o tempo a odiarmos os cristãos”, disse Rebecca.

Ore para que mais pessoas vejam a verdade do cristianismo, assim como essa moça, que hoje está livre do pensamento extremista por Jesus.

Fonte: Portas Abertas