O juiz Paulo Zacarias, que havia sido seqüestrado há três dias em Maceió, foi libertado no começo da manhã desta quarta-feira, 14, segundo informações do jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Ele foi seqüestrado no domingo, 11, quando saía de uma igreja batista em Maceió. Seu carro, um Corolla, levado com ele pelos seqüestradores, foi encontrado carbonizado na segunda-feira, 12.

Na terça-feira, 13, o governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), teve um encontro com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, em Brasília, para pedir ajuda do governo federal contra a onda de violência no Estado. Nos últimos seis meses, 17 pessoas foram seqüestradas no Estado, entre elas o juiz e três familiares de magistrados.

O secretário Estadual de Defesa Social de Alagoas, general da reserva Edson de Sá Rocha, afirmou na terça que o serviço de inteligência da polícia trabalhava com todas as hipóteses sobre o caso do seqüestro.

Questionado sobre a possibilidade de o crime ter conotação política ou ter sido realizado para desestabilizar sua secretaria, Sá Rocha disse: “São linhas de investigação que a polícia está analisando. Pode ser um movimento para desestabilizar o diretor-geral da Polícia Civil e até o governador do Estado.”

Segundo Sá Rocha, a hipótese de crime político é apenas uma das várias investigadas. “Pode haver uma relação entre o seqüestro e as ameaças a magistrados. No entanto, é preciso cautela, pois há várias linhas e não podemos assumir nem descartar agora nenhuma delas.”

Fonte: Gazeta do Povo