O juiz Vincenzo Bruno Formica Filho, de Andradina (SP), julgou improcedente ação de indenização proposta por Luiz Fernando de Souza contra a Folha de São Paulo e a repórter Elvira Lobato, autora da reportagem “Universal chega aos 30 anos com império empresarial”, de dezembro.

Já foram ajuizadas 77 ações em nome de seguidores da Igreja Universal do Reino de Deus. Do total, 22 foram julgadas, todas favoráveis à Folha.

O autor alegou que, após a reportagem, passou a ser “alvo de ofensas em razão de sua convicção religiosa”, e que lhe foram dirigidos impropérios, no sentido de que “não passaria de um bandido disfarçado de crente para esconder que faz parte de uma máfia de criminosos”.

Para o juiz, “sob qualquer prisma que se analise a demanda, inviável é sua procedência”. O autor “sente-se ofendido não pela conduta das rés [a Folha e a repórter], mas, sim, pelo comportamento de terceiros”.

“A conduta das rés não lhe atingiu liberdade de culto, de crença ou de organização religiosa”, concluiu o juiz.

Fonte: Folha de São Paulo