Juíza solicitou ao Vaticano as informações sobre o julgamento eclesiástico que condenou o padre a uma vida de oração por abusos sexuais.

A juíza da Corte de Apelações de Santiago, no Chile, Jessica González, encaminhou à Corte Suprema de seu país um pedido no qual solicita ao Vaticano as informações sobre o julgamento eclesiástico que condenou o sacerdote Fernando Karadima a uma vida de retiro e oração por abusos sexuais.

A magistrada tomou a decisão depois que o Arcebispado de Santiago e a Nunciatura Apostólica negaram sua solicitação. A petição será agora analisada pela juíza Mônica Maldonado, que entregará uma recomendação à segunda sala penal que finalmente decidirá se o pedido será enviado ao Vaticano.

No caso da Corte avaliar a solicitação como favorável, o documento deverá ser recebido pela Congregação para a Doutrina da Fé, que revisou e sentenciou a condenação contra Karadima. Por meio da Oficina de Comunicações do Poder Judicial, a juíza esclareceu que não está investigando as questões financeiras do caso Karadima.

A magistrada tenta esclarecer se há responsabilidade do religioso nas denúncias de abusos sexuais cometidos quando ele era pároco da Igreja El Bosque de Providencia.

[b]Fonte: Opera Mundi[/b]