Um júri declarou a sexta maior diocese católica dos Estados Unidos culpada de negligência no caso de um ministro que violentou repetidamente os jovens deixados sob seus cuidados.

Duas vítimas receberam indenizações que, somadas, totalizam US$ 11,4 milhões (R$ 23 milhões), em dos poucos casos de abuso sexual por parte de autoridades católicas a chegar a julgamento. A maioria das denúncias, que se acumulam há anos, vem sendo resolvida em acordos entre as partes.

O júri ainda declarou que a Diocese de Rockville Centre, uma de suas paróquias e um padre também foram negligentes ao aceitar e manter o ministro.

O advogado dos queixosos, Michael Dowd, disse que o veredicto é um recado forte para a Igreja Católica. “A igreja não pode mais ser irresponsável no que diz respeito á segurança das crianças”, declarou ele. Segundo a defesa da diocese, ainda não há decisão quanto a um possível apelo.

O julgamento incluiu descrições detalhadas, por parte de uma vítima do sexo feminino, de como o ex-ministro Matthew Maiello a seduziu e manteve relações sexuais com ela em diversos lugares, incluindo nos bancos da igreja.

Maiello já havia se declarado culpado de abuso sexual de menores e cumpriu mais de dois anos de cadeia. Ele confessou ter mantido relações sexuais com quatro crianças. O foco do julgamento atual foi definir qual a parcela de responsabilidade que cabe à Igreja de San Raphael de East Meadow, a seu pároco, o padre Thomas Haggerty, e à diocese.

A Conferência Nacional dos Bispos dos EUA estima que os custos relacionados a processos contra padres e funcionários da igreja por abusos sexuais, no país, já ultrapassam US$ 1,5 bilhões (R$ 3 bilhões).

Fonte: Estadão