O processo contra o bispo lefebvriano Richard Williamson, que negou a existência do Holocausto em uma entrevista, será retomado em abril, informou hoje um porta-voz do Tribunal de Regensburgo, no sul da Alemanha.

De acordo com a fonte consultada pela ANSA, Williamson deverá comparecer no próximo dia 16 de abril à audiência. Contudo, sua presença ainda não foi confirmada.

No último ano, a Justiça do país condenou o bispo britânico a pagar uma multa de 12 mil euros, mas a defesa apresentou um recurso, anulando a decisão.

O Ministério Público de Regensburgo acusa o religioso de “incitar o ódio racial” e “instigar a massa” ao antissemitismo.

Em entrevista a uma emissora de TV da Suécia, o religioso britânico negou que milhares de judeus tenham sido exterminados durante a Segunda Guerra Mundial. As declarações vieram à tona após o papa Bento XVI anunciar a remissão das excomunhões de quatro bispos tradicionalistas — entre os quais estava Williamson.

Na ocasião, o Pontífice — que é alemão — lamentou a situação e esclareceu que não tinha conhecimento de tal declaração. Por sua vez, em fevereiro de 2009, o governo argentino, de Cristina Kirchner, decidiu expulsar Williamson do país. Ele vivia desde 2003 em Buenos Aires.

Fonte: Ansa