Pastor Israel Alves Ferreira, ex-presidente da ADESAL e atual presidente da CONFRAMADEB
Pastor Israel Alves Ferreira, ex-presidente da ADESAL e atual presidente da CONFRAMADEB

O Tribunal de Justiça da 5ª Câmara Civil do Estado da Bahia, por unanimidade, destituiu o pastor Israel Alves Ferreira e pastor José Pereira Lima dos cargos de presidente e vice-presidente da Assembleia de Deus de Salvador (ADESAL). A decisão foi disponibilizada no site do TJ-BA nesta quinta-feira (09).

A ação que resultou na destituição do pastor Israel Alves Ferreira da presidente da ADESAL, foi motivada pela Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), presidida pelo pastor Valdomiro Pereira da Silva.

O processo já dura cerca de sete anos, e se refere ao desligamento do pastor Israel Alves Ferreira que deixou a CEABEB para criar uma nova convenção (CONFRAMADEB) no Estado da Bahia.

Após analisar os autos, o Tribunal de Justiça da Bahia, reconheceu que o pastor Israel Alves Ferreira e o pastor José Pereira Lima, quando deliberam a saída da CEADEB não preenchiam mais os requisitos para ocuparem o cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, ou seja, os seus atos eram nulos de pleno direito.

Em sua decisão, a desembargadora Ilona Márcia Reis, relatora, declarou a perda automática do cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, e determinou que a CEADEB, possa indicar o novo presidente da ADESAL, condicionando à aprovação pelo ministério local, conforme o estatuto.

“Por cima do meu cadáver”

Após ser destituído do cargo de presidente da Assembleia de Deus de Salvador (ADESAL), o ex-presidente pastor Israel Alves Ferreira se pronunciou sobre a decisão do Tribunal de Justiça, por meio de áudios compartilhados pelo WhatsApp, neste sábado (11).

No áudio, fica nítido que há uma guerra travada nos tribunais entre a ADESAL e a Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB).

Estou em uma luta há sete anos, sete anos de uma batalha, numa briga que a Convenção CEADEB fez contra a Igreja de Salvador. Foi um fato inédito, nós eramos da Convenção”, explicou o pastor. Ele cita duas ações da convenção CEADEB que causaram esse problema, o primeiro foi tirar 70 templos da ADESAL. “A igreja é muito anterior à convenção, a Igreja de Salvador é a igreja-mãe do Estado”, declarou.

Segundo Ferreira, a ruptura com a Convenção CEADEB veio em defesa da igreja e só por este motivo que uma nova convenção (CONFRAMADEB), foi formada pelos pastores. “Para destruir a igreja em que sou pastor, primeiro tem que passar por cima do meu cadáver”, declarou. “Eu coloquei minha vida ali, correndo todos os riscos possíveis, contra todos os poderes […] Isso aconteceu de uma forma tremenda há sete anos atrás”, completou.

Em outro áudio o pastor segue explicando o que tem acontecido nesse processo onde a CEADEB tenta retomar a liderança da ADSAL. “Há dois anos houve uma decisão a favor da igreja extinguindo o processo, mais depois disso a CEADEB recorreu ao tribunal e o Tribunal de Justiça da Bahia, que decidiu voltar o processo para o primeiro grau para ser julgado de novo”, explica.

O pastor explica também que o estatuto da ADESAL, não consta mais o nome da CEADEB, o que pode servir para impedir que o Tribunal de Justiça da Bahia, destitua ele e seu vice-presidente, o pastor José Pereira Lima para nomear um novo pastor.

“Essa posse está dependendo do Estatuto que foi reformado e o Estatuto foi reformado e essa sentença não pode ser cumprida”, disse Israel Alves Ferreira.

Ferreira disse que não será fácil a posse de um novo presidente junto à ADESAL, ele explica, que mesmo que a CEADB indique um nome, terá que ter a aprovação do ministério local.

Ferreira pede oração, pois esse problema na Justiça fez muito mal para a igreja e para os membros há sete anos e ele teme que traga mais uma vez uma crise. “Não entrem em pânico, fiquem calmos que eu vou informando o que está acontecendo”, encerra.

Segundo informação apurada pelo JM Notícia, a ADESAL não tem intenção de cumprir a decisão do Tribunal de Justiça da Bahia. O advogado da ADESAL é o pastor Abiezer Apolinário da Silva, ligado à CGADB.

Fonte: JM Notícia