Vereadora de Guarantã do Norte, a 771 km de Cuiabá, Edileusa Oliveira Ribeiro (PTC),
Vereadora de Guarantã do Norte, a 771 km de Cuiabá, Edileusa Oliveira Ribeiro (PTC),

A vereadora de Guarantã do Norte, a 771 km de Cuiabá, Edileusa Oliveira Ribeiro (PTC), foi condenada pela Justiça Eleitoral e se tornou inelegível por prometer 250 casas populares a fiéis durante um evento numa igreja evangélica.

A decisão é do pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), que manteve a decisão de 1ª instância.

Além de ter os votos anulados, Edileusa foi condenada a pagar multa e teve os direitos políticos suspensos por oito anos.

A vereadora foi condenada por abuso de poder econômico e de autoridade e de captação ilícita de sufrágio.

De acordo com o processo, Edileusa fez promessas de doação de casas populares aos eleitores durante discurso em uma igreja.

Durante o evento, ela afirma que teria conseguido verba para a construção de 250 casas, além das que já existiam e que iniciaria as inscrições dos possíveis beneficiários com os eleitores da igreja.

“Eu tenho 250 casas para contemplar primeiro meus irmãos. Comecei a fazer a inscrição, mas com medo da Justiça Eleitoral eu parei”, diz trecho do áudio do discurso da vereadora transcrito no processo.

Na decisão, a Justiça afirma que os votos obtidos por Edileusa durante o pleito eleitoral não podem ser admitidos como válidos, uma vez que foram obtidos “de forma não permitida pela lei eleitoral, via captação ilícita e abuso de poder”.

Fonte: G1 via Mídia News