O TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral) do Rio de Janeiro cassou o mandato da prefeita de Campos dos Goytacazes, Rosinha Garotinho (PR), por abuso do poder econômico. A decisão também torna ela e seu marido, o ex-governador e pré-candidato ao governo Anthony Garotinho (PR), inelegíveis por três anos.

Como o prazo da inelegibilidade conta a partir da eleição, ela vale até 2011.

Para a Justiça, a prefeita foi beneficiada por “práticas panfletárias” da rádio e do jornal “O Diário” na eleição de 2008. Como Rosinha teve mais de 50% dos votos, o tribunal pediu novas eleições. O casal já recorreu e, com isso, a cassação da prefeita é suspensa.

“Os fatos foram inadmissíveis. O pleito eleitoral tem que ter uma lisura absoluta, trata-se de um direito da sociedade”, afirmou o presidente do TRE, Nametala Jorge, que desempatou o julgamento que estava em 3 a 3.

Na decisão, os radialistas Linda Mara da Silva, Patrícia Cordeiro Alves e Everton Fabio Nunes Paes também se tornaram inelegíveis.

Outro lado

Em seu blog, Garotinho afirma que a decisão é mais uma covardia contra ele. Segundo ele, foi um julgamento político.

“É bom deixar claro, que a decisão não tem aplicação imediata, ou seja: somente após analisado e julgado o mérito pelo TSE, é que a prefeita teria que deixar o cargo. O mesmo caso se aplica mim”, afirma.

Para ele, a decisão vai de encontro à jurisprudência do TSE. O ex-governador ainda reclama do fato de a sessão ter sido antecipada. “O julgamento de hoje, é mais um capítulo da longa história de perseguições que venho sofrendo ao longo da minha vida política.”

Fonte: Folha Online