A família do pastor evangélico José Rafael Gómez se recusa a enterrar o corpo do religioso, morto desde sexta-feira (22), à espera de uma ressurreição, em Cartagena, cidade litorânea no norte da Colômbia.

Enquanto vivia, Gómez teria feito um pacto com Jeová, que a família do morto quer, agora, respeitar. A espera da ressurreição só foi interrompida porque os vizinhos se queixaram de mau cheiro às autoridades.

A mulher do religioso, Luz Estela Pulido, disse que conservou o corpo do marido em casa porque ele havia pedido que não fosse sepultado porque iria ressuscitar. Ela também contou que o marido se sentiu mal na quinta-feira passada e morreu na madrugada de sexta. “Ele me disse: se eu morrer, não me tire daqui, porque o Senhor Jesus Cristo tem que me levantar”.

Depois de serem alertadas por vizinhos, as autoridades encontraram o corpo em decomposição de Gómez, em uma das salas que da casa que também era usada como sede da igreja Boas Novas de Sião.

Autoridades de Cartagena disseram que poriam ajuda psiquiátrica à disposição da família. O corpo foi trasladado hoje (28) pela manhã, para o necrotério da cidade, em cumprimento a uma ordem judicial de sepultamento pedida pela polícia e deferida por um juiz plantonista.

Fonte: O Barriga Verde