O Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou, nesta sexta-feira (2), pedido de liberdade para o pastor evangélico acusado de vender diplomas falsos. O religioso está preso desde 24 de janeiro em presídio de Sinop, a 550 km de Cuiabá.

O pastor foi preso pelo Grupo de Ação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), que o investigava desde o ano passado. De acordo com os promotores, o acusado vendia diplomas falsos de primeiro e segundo graus em várias cidades de Mato Grosso.

Os promotores encontraram na casa dele avaliações em branco, cheques preenchidos, requerimento de matrículas e certificados de conclusão. De acordo com as investigações, o pastor fazia levantamento dos interessados em adquirir o diploma por intermédio de pastores e fiéis. O religioso é acusado, ainda, dos crimes de falsidade ideológica e estelionato.

Fonte: G1