Um juiz dos EUA condenou ontem Warren Jeffs, líder da seita polígama Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Últimos Dias, a “duas penas consecutivas de cinco anos a prisão perpétua”.

A acusação, cumplicidade em estupro, remonta ao fato de Jeffs, 51, ter incentivado o casamento de uma menina de 14 anos com seu primo de 19 em 2001. A pena exata dependerá do Conselho de Condicional de Utah.

Fonte: Folha de São Paulo