Tribunal de Justiça rejeitou a queixa-crime da Igreja Universal contra o jornalista Vinícius Jorge Sassine, do jornal O Popular.

Um Tribunal de Justiça de Goiás rejeitou a queixa-crime da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) contra o jornalista Vinícius Jorge Sassine, do jornal O Popular, que produziu reportagem falando da relação entre fé e dízimos.

Em julho de 2007, O Popular publicou matéria sobre a arrecadação da Iurd, com dados baseados em levantamentos da Fundação Getúlio Vargas e do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Na matéria intitulada “Fieis dão R$ 110 milhões de dízimo por ano”, o jornalista escreveu que entendia a razão pela qual poucos fieis da Universal poderiam doar R$ 100.

No entendimento da juíza Maria Umbelina Zorzetti, da 12ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Goías, o teor da reportagem era jornalístico e informativo. Desse modo, o jornalista não teve a intenção de denegrir a imagem da igreja. A magistrada ressaltou também a falta de provas para que a queixa fosse registrada como crime.

“O querelado não objetivou, com o ato praticado, ofender ou violar a honra moral do querelante. Nesse sentido, após analisar criteriosamente os autos, verifico que falta interesse de agir ou justa causa para o exercício da ação penal”, ressaltou a juíza, segundo informa o Conjur, citando informações da Assessoria de Comunicação do TJ-GO.

Por fim, a juíza ainda observou em seu despacho que “extrai-se do texto publicado que a intenção do querelado foi somente de narrar os acontecimentos ocorridos em várias denominações, como, por exemplo, Assembleia de Deus, Deus é Amor, Sara Nossa Terra e outras”.

[b]Fonte: Portal Imprensa[/b]