O jogador Kaká, membro da Igreja Apostólica Cristã Renascer em Cristo, ficou bastante abalado com o desabamento do teto da sede, no último domingo, no bairro do Cambuci, região central de São Paulo. O jogador do Milan soube do acidente, que matou nove pessoas e feriu outras 93, através da internet.

Da Itália, a primeira coisa que ele fez foi telefonar para a família, no Brasil, para saber se algum conhecido estava no local no momento.

Os pais de Kaká, assim como ele, frequentam a Renascer. No último domingo, alguns familiares seus iriam à igreja, mas num culto posterior ao que ocorria no momento do desabamento – perto das 19h.

Mesmo sabendo que nenhum parente seu estava envolvido no acidente, Kaká ficou bastante triste, já que tem muitos amigos naquela igreja. Foi ali que em 2005 ele se casou com Caroline Celico.

Em 2008, também foi na mesma Renascer que ele deixou exposto o troféu de melhor jogador do mundo, que tinha ganhado no fim de 2007, em eleição da Fifa. A taça, porém, já não estava mais lá e foi transferida há alguns meses para um cofre.

Troféu do craque não estava mais lá

A Igreja Apostólica Cristã Renascer em Cristo, cujo teto desabou no início da noite de domingo, deixando nove mortos e 93 feridos, é a mesma onde o jogador Kaká, do Milan (ITA), casou-se em 2005 com Caroline Celico. O local também serviu para que o craque, após a conquista do prêmio de melhor do mundo, no fim de 2007, deixasse o seu troféu exposto. A taça, porém, não estava lá no momento do acidente. Na Itália, ele foi informado sobre o acontecimento e ficou bastante abalado com a notícia.

Em fevereiro do ano passado, Kaká levou o troféu para a igreja, localizada no bairro do Cambuci, na região central da capital paulista. Devoto, ele queria dividir a sua conquista com os fiéis. Meses depois, no entanto, o objeto foi transferido para um cofre num banco.

A família de Kaká costuma frequentar a Renascer, mas, no domingo, dia do desabamento, nenhum parente do jogador assistiu aos cultos

Fonte: G1