Com semblante de desânimo e olhos marejados, o meia evangélico Kaká se despediu da Copa nesta sexta-feira, com a derrota do Brasil para a Holanda por 2 a 1 em Port Elizabeth, pelas quartas de final. A estrela brasileira deixa o Mundial sem um gol marcado, com uma expulsão e sentimento de dor pela queda precoce antes das semifinais.

Instantes após a eliminação brasileira na derrota de virada para os holandeses, Kaká exaltou a luta física para defender a seleção na África do Sul e colocou para fora seu desapontamento pelo fracasso.

“Eu lutei para estar nessa Copa, fiz o possível pelo meu país, lutei o máximo. E, inclusive, às vezes isso não é reconhecido. Eu sei o quanto eu lutei pra conseguir o hexa, para estar em campo. Queria mais, queria brigar pelo hexa numa partida final. A copa é decidida em detalhes e perdemos em duas bolas paradas. O sentimento é de dor, frustração”, afirmou o camisa 10.

Kaká foi o primeiro jogador a se apresentar à comissão técnica da seleção, em 20 de maio, um dia antes da chegada dos demais companheiros à concentração de Curitiba. O meia então passou por um calculado processo de regeneração física para se recuperar de uma temporada de problemas na Europa e com a finalidade de atingir o máximo a partir das oitavas de final.

No Mundial, Kaká ficou 90 minutos em campo apenas no jogo desta sexta contra a Holanda. Na primeira fase, deixou a partida contra a Coreia do Norte antes do fim, substituído, e depois foi expulso contra a Costa do Marfim.

Depois de cumprir suspensão diante de Portugal, Kaká voltou ao time na vitória sobre o Chile nas oitavas de final. Neste compromisso, novamente foi substituído antes do desfecho da partida.

“A eliminação machuca mais que a recuperação. Mesmo fazendo parte deste grupo, em vários momentos eu achei que não ia dar para jogar. Mas vários companheiros passavam no meu quarto, eu recebia mensagens pelo telefone de amigos, todos me apoiando, dizendo que eu ia jogar, e todo esse apoio foi importante. Então, agora com a eliminação, dói mais”, declarou.

Fonte: UOL