Laudo feito pela empresa Eduardo Aleixo Engenharia de Avaliações aponta que as obras de compactação do estacionamento da Igreja Universal do Reino de Deus não foram responsáveis pelas rachaduras em residências localizadas no entorno do templo, em Campo Grande, MS.

O resultado da perícia feita nos imóveis foi divulgado esta tarde no Crea/MS (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso do Sul).

A conclusão aponta que: “A grande maioria das patologias observadas nas vistorias era antiga ou pré-existente”. Ainda com base no laudo, as oscilações do terreno, provocadas pelo uso de rolos compactadores vibratórios, contribuíram para o reaparecimento de algumas trincas pré-existentes.

Desta maneira, proprietários de casas que reclamaram o aparecimento de rachaduras deverão solicitar perícia particular caso queiram entrar na Justiça para reivindicar indenizações, segundo revelou o presidente do Crea/MS, Amarildo Miranda Melo. Ele explicou que cada morador, cujo imóvel tenha sido submetido a perícia, receberá uma cópia do laudo, assim como os responsáveis pela obra.

Segundo Melo, nove residências passaram por vistoria minuciosa, que analisou cada imóvel, ambiente e rachadura. Ao todo, 22 pessoas formalizaram pedido de inspeção, no entanto, o Conselho fez a vistoria nas nove casas cujos donos fizeram os primeiros requerimentos.

Em setembro deste ano, moradores vizinhos à igreja fizeram um abaixo-assinado para solicitar que o Crea fizesse uma perícia nas casas, que segundo eles, começaram a apresentar rachaduras decorrentes da pavimentação do estacionamento do templo.

Fonte: Campo Grande News