O governo do Estado indiano de Himachal Pradesh “tem a intenção de introduzir uma lei anticonversão proposta pelas facções nacionalistas, pois a fé é algo que diz respeito à escolha livre da pessoa e não a coerção”.

Foi o que declarou Virbhdadra Singh, chefe do conselho dos ministros de estado.

Para a Igreja indiana “é preocupante que um outro Estado da União indiana, que sempre foi de matiz laico, esteja agora tentando impor uma lei anticonversão”. O arcebispo de Gandhinagar, dom Stanislaus Fernandes, secretário-geral da Conferência Episcopal Indiana disse à agência AsiaNews que, além do projeto de lei, preocupa o fato de que o ministério social da Igreja seja analisado e visto com suspeitas.

O prelado explica que há mais de um século, a Igreja trabalha com os pobres e marginalizados da sociedade indiana e os ajuda na área educativa, social e sanitária. “Nunca se duvidou das nossas atividades” _ ressaltou.

“Os governos indianos parecem não entender que as conversões são obra do Espírito Santo e que a Igreja está simplesmente a serviço de todos, sem distinções de castas ou credo. A Igreja é a primeira a ser contrária às conversões forçadas, e como discípulos de Cristo defendemos a liberdade de consciência” _ concluiu dom Fernandes.

Fonte: Rádio Vaticano